0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Quem nunca botou o pé em um lugar e sentiu como se pertencesse a tudo aquilo? Por mais que a cultura, a língua, o povo fosse diferente?

Acredito que assim como sentimos atração por pessoas aleatórias muitas vezes um lugar arrebata nosso coração por motivos inexplicáveis. É como se fosse uma conexão de vidas passadas. Um lugar comum onde o mistério já parece mais que íntimo.

Pode chamar do que quiser, eu chamo de “energia”. A energia quando bate alucina, não te dá mais vontade de voltar, ou muitas vezes inclusive de continuar. Conheci muitos viajantes que sentiram isso e ficaram, outros que sentiram e tiveram força para dizer um “Até logo, mas em breve eu volto!”

E não busque uma razão para tal “crush” por que certamente você não irá encontrar. Independe de infraestrutura, de governo, de cultura, de beleza, do povo. Conheci alemães apaixonados por La Paz. Franceses que ficaram por Lima. Americanos em Buenos Aires. Espanhóis em São Paulo…ou, como no meu caso, brasileiros por Barcelona.

Assim como não há razão não há regras, e o acaso sempre dá um gostinho a mais para a descoberta. A vida é muito grande para vivermos de um só amor, podemos nos apaixonar por vários lugares e somente resta a dúvida “onde ficar?”, “Onde criar raízes?”.

No fundo não importa muito, nós vivemos em um eterno ciclo de experimentações, mudanças e descobertas. Se você tem a oportunidade tente, experimente, goze de cada um desses amores, explore cada cantinho deles. Se no final da vida ainda não tiver escolhido um lugar para ficar pelo menos viveu intensamente e conheceu realmente cada um deles.

 

Comentários

comentários