0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

A cerca de 4 horas de ônibus de La Paz está Copacabana, a principal cidade da Bolívia que costeia o maior lado da América do sul e o mais alto lago navegável do mundo, o lago Titicaca.
Antes de começar a falar sobre Copacabana devo ressaltar minha zica em fronteiras. Para entrar na região de Copacabana você deve passar por um controle migratório e apresentar seu passaporte. Como lá no Atacama o cara se negou a carimbar meu passaporte fiquei com outro papel da imigração, papel esse que perdi em La Paz. Como não tinha papel nem carimbo fui obrigado a pagar uma nada pequena multa de 220 bolivianos (mais ou menos 110 reais). Pelo menos agora tinha o carimbo da Bolívia no passaporte. 😛
Bom…voltando a Copacabana hoje a região vive do turismo e foi fundada pelos espanhóis no século 16 em cima de uma antiga e sagrada cidade Inca. Hoje onde existe a basílica de Nossa Sra de Copacabana existia o templo de veneração da deusa “Kotakawana” (de onde se acredita que veio o nome da cidade). Kotakawana era a deusa da fertilidade, o equivalente a Afrodite para a cultura grega. Era um ser andrógino que habitava o lago segundo a crença andina. Uma espécie de sereia.

Copacabana

Rua principal de Copacabana

A cidade serve de porta de entrada para as ilhas do lago pelo lado Bolíviano (Parte do lago pertence a Bolívia e outra parte ao Peru). Existem dois horários que os barcos saem para a Ilha do Sol: às 10:30 e as 13:30. Depois somente no outro dia.

Ilha do Sol: Onde nasce o primeiro Inca

Ilha do Sol

Caminho da Eternidade. Rota que liga a parte sul ao norte da Ilha do Sol. Foto da minha viagem pela Bolívia em 2011.

 

Ilha do Sol

Na cultura boliviana são as mulheres que fazem os trabalhos mais pesados. Foto da minha viagem pela Bolívia em 2011.

A Ilha do Sol é a maior ilha do Titicaca. Existem cerca de 800 famílias vivendo lá e a forma de subsistência vem da pesca, agricultura e turismo. Na ilha existem algo como 180 sítios arqueológicos e os Incas acreditavam que o primeiro Inca teria nascido lá.
Existem duas estátuas na entrada da parte sul da ilha que representam os primeiros representantes do império. Segundo a lenda o Deus Sol deu um cajado de ouro ao primeiro Inca e falou: “Vá andando para o norte, onde você deixar cair essa cajado irás fundar teu império”. O cajado caiu na região de Cusco, centro do império Inca.

Ilha do Sol

Jardim Inca, logo na entrada sul da Ilha do Sol

A ilha é maravilhosa, lá presenciei o anoitecer mais bonito, energético e mágico da minha vida. O nascer do sol visto pela parte sul também não perde em nada. O Titicaca tem sua água azul turquesa que contrasta perfeitamente com o laranja do sol. Um espetáculo da natureza.

Ilha do Sol

Noite de lua cheia no lago Titicaca

Recomendo passar pelo menos uma noite na ilha.

Ilha da Lua – Casa das ninfas.

Logo a frente da Ilha do Sol está a Ilha da Lua, alcançada somente se contratar um barco particular. Acredita-se que a civilização Tiwanacu já ocupava essa ilha antes dos Incas, que a utilizou como santuário de clausura para jovens e bonitas mulheres que passavam sua vida aprendendo ofícios como tecer, preparar poções e remédio com plantas medicinais e a fazer chicha (uma espécie de cerveja de milho que era bebida por sacerdotes no período Inca, era considerada uma bebida sagrada).
As jovens poderiam ser escolhidas para se casarem com os chefes das várias tribos que formavam o Império ou inclusive com o próprio Inca. Outras eram sacrificadas como oferenda para os deuses caso achassem necessário e as que sobravam e envelheciam viravam tutoras das mais novas que chegassem.

Ilha da Lua

Ruínas da Ilha da Lua

A Ilha do Sol foi um dos lugares mais mágicos que já visitei nesse mundo. A canalização de energia ali é muito forte. Vale a pena ficar dois ou três dias visitando as ruínas e aprendendo um pouco mais sobre a história do lugar…ou somente admirando o espetáculo do dia e da noite no meio do lago Titicaca.

Ilha do Sol

Ruínas na Ilha do Sol

Comentários

comentários