0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Passei alguns perrengues na estrada pois não existe ônibus direto de Asunción a Salta. Teria que parar em Resistência, na Argentina e pegar outro só que de noite havia um protesto de índios que bloquearam a estrada e ficamos parados por várias horas, cheguei em Resistência 11 da noite sem lugar para ficar.

A cidade é minúscula e não existem albergues por lá, tive que falar com o segurança da praça da cidade para me deixar acampar lá por uma noite (era permitido acampar mas o parque já estava fechado). Depois de meia hora convencendo ele (e ameaçando acampar na frente do parque), ele deixou. No outro dia peguei o ônibus e 16 horas depois chegava ao meu destino.

Salta é uma cidade de cerca de 600.000 habitantes (a segunda maior do norte da Argentina) que e que é muito procurada por viajantes por ter fácil acesso às pequenas vilas do norte, e algumas do sul (como Cafayate, que tem ganhado atenção mundial pela qualidade dos vinhos que produz) ao sul da Bolívia e ao norte do Chile.

Salta e suas igrejas

A cidade é considerada a mais espanhola da Argentina porque é a que mais preservou sua arquitetura original. A praça central é linda!

salta

Ruas do centro de Salta. Um dos centros mais vívidos e bonitos da américa do sul.

É uma cidade muito artística (com alguns museus muito bons) e bem movimentada a noite, talvez por contar com 2 grandes universidades (e inúmeros outros institutos de ensino superior).

Apesar do comércio ficar aberto até as 22 horas eles levam a ciesta muito a sério, das 13 as 17 hrs quase tudo está fechado e as ruas estão desertas, portanto se deseja aproveitar sua tarde veja com antecedência o que fica aberto nesse horário…ou tire uma bela soneca depois do almoço.

Salta também é bem famosa por suas inúmeras e bonitas igrejas, com destaque para a Igreja de São Francisco e sua fachada vermelha, um dos cartões postais da cidade.

salta

Fachada da Igreja de São Francisco

O nome Salta vem do áimara Sagta que significa “la hermosa” por se situar em um vale extremamente fértil no meio do deserto. A origem da palavra juntamente com suas charmosas ruas lhe rendeu o título de “Salta, a linda” entre os argentinos.

salta

Salta a noite vista do mirante

Salta e os Incas

A região de é envolta por inúmeros vulcões e montanhas e era território Inca a cerca de 500 anos atrás. Salta mantém museus que expõem diversos dos artefatos encontrados em ruínas e montanhas da região.

O museu mais interessante é o Museu de Arqueologia da Alta Montanha. Dentro dele você pode conhecer um pouco mais sobre o Capac Cocha, o ritual Inca de sacrifício de crianças.

salta

Múmias das crianças de Salta. Imagem: Google

Quando o negócio apertava (em períodos de grande seca, inundações ou algum castigo da natureza que o povo atribuía aos deuses) o Inca convocava o sacrifício. Era um privilégio ter seu filho escolhido para tal cerimônia já que se acreditava que a criança iria proteger a tribo do alto da montanha junto com os deuses. Então todos os chefes de tribo apresentavam seus filhos e filhas mais bonitos ao Inca, que escolhia um casal de cada tribo. Esse casal tinha uma cerimônia simbólica de casamento que fazia com que duas tribos formassem eternos laços de cooperação e fraternidade. Logo após o matrimônio as crianças subiam a montanha com o sacerdote e lá eram sacrificadas (às vezes eram embebedadas com chicha até adormecerem e colocados no “santuário” onde morriam de frio ainda antes de acordarem ou com uma simples pancada na cabeça) e enterradas juntamente com artefatos que garantiriam uma boa jornada até a terra dos deuses (roupas, comida, oferendas,…).

salta

Torre da Catedral

O Museu de Arqueologia além de apresentar os artefatos e oferendas tem em exposição 3 múmias de crianças encontradas no vulcão Lullaillaco, a 6.739m de altitude e em perfeita conservação. O tempo seco, estéril, a temperatura e a altitude ajudaram a conservar os corpos. Sério…parece que eles estão dormindo. Vale muito a visita.

Salta é um bom pit stop para descansar e aproveitar a estrutura de uma cidade grande antes de continuar pelas vilas da Argentina, Chile e Bolívia. Também conhecer um pouquinho mais da interessante história dos povos que habitavam a região antes dos espanhóis chegarem.

 

Comentários

comentários