0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

O Mundo Vira Lata mudou.

Nesses últimos meses venho trabalhado bastante para remodelar o blog. Construir uma marca era algo que pensava fazer desde o começodo projeto mas não conseguia.

Porquê?

Porque eu realmente não sabia o que estava buscando quando comecei essa aventura, para falar a verdade eu ainda não sei ao certo, mas já tenho uma breve ideia do que se trata.

O João mudou.

O Mundo Vira Lata não trata somente de uma viagem pelo mundo. De dicas de lugares e fotos legais. Mas trata principalmente sobre o processo de auto conhecimento de alguém. Um processo do qual todos passamos de um jeito ou de outro, a nossa maneira.

O que vivi nesses 17 meses foi muito intenso. Tanto fisicamente como emocionalmente. Não pensem que viajar por longos períodos é fácil, que é uma eterna festa, férias estendidas. Definitivamente não o é.

mundo vira lata

Viajar por muito tempo é aprender a ter auto controle, é se forçar a gerenciar seu tempo, é negar festas, é ter mais responsabilidade sobre você. É conhecer mais os limites do seu corpo.

A partir do momento em que você não tem chefe, amigos, família, [email protected] para te dizer o que tem que fazer ou te dar dicas é você com você mesmo. Aí sim você tem que encarar a coisa que você mais teme: O seu eu interior. Os seus anseios, angustias, medos, traumas, tabus, etc. E também o que te faz feliz, o que te enche os olhos, te empolga e te faz seguir em frente.

Sobre meus últimos meses no Brasil

Quando voltei para meu país em dezembro o fiz porque algo aqui dentro me dizia que eu precisava. Estava em dúvida entre sair da Europa por Marrocos ou usar meu vôo de volta. Muita gente me pergunta porque volto tanto para cá. A resposta é simples: Eu acho que vivemos no melhor país do mundo. Temos muitos problemas sim, mas a partir do momento em que você presencia repetidas vezes a empolgação de pessoas de todas as nações quando você fala que é brasileiro você percebe o quanto nosso povo é especial.

Mas voltei também porque estava cansado de viajar. Sim, viajar cansa, e muito. E além de esgotado eu estava perdido. Vivi, experimentei e conheci muita coisa. Precisava relaxar e maturar tudo isso. Aqui no ocidente somos ensinados sempre a olhar para fora, a procurar a felicidade e o conhecimento no outro ou em alguma coisa. Mas no oriente dizem que após você ter aprendido algo você deve tomar um tempo para refletir sobre isso e assim vai compreender seus sentimentos e todas as situações e apoio essa ideia. Acho que praticamente todas as soluções para nossa vida estão dentro de nós mesmos e é daqui de dentro que tiramos força pra mudar atitudes, rotinas e correr atrás do que precisamos para realizar nossos sonhos.

E foi o que fiz. E foi a melhor coisa que poderia fazer.

Sobre compreender as experiências de vida

1 ano de relações líquidas me deixaram carente e me via correndo atrás de mais relações para tapar um buraco que estava em mim, dentro de mim. Eu comecei essa viagem ao mesmo tempo como uma busca e uma fuga. Queria me encontrar e fugir de mim ao mesmo tempo. Queria encontrar a tão sonhada liberdade lá fora quando no fundo ela estava dentro de mim. E enquanto viajava pelo mundo estava absorvendo, sentindo, aprendendo…mas não tinha tempo para raciocinar e entender tudo aquilo.

mundo vira lata

Em 4 meses de Brasil me reconectei com minha família como a muito tempo não fazia. Me reaproximei com meus amigos, reencontrei antigos amores que me relembraram o quanto é bom ter uma relação profunda, e conheci outras pessoas especiais que me redirecionaram para o caminho que havia me desviado.

Não existe um conceito concreto de liberdade e felicidade. Eles mudam de pessoa a pessoa. Eu não escrevo o Mundo Vira Lata para incentivar os outros a fazer como eu. Muito pelo contrário, escrevo para incentivar que vocês busquem realizar seus sonhos e não tenham medo de errar, não tenham medo de partir para outra e ainda assim descobrirem que o que pensavam que faltava já estava ali ao seu lado. Às vezes você só precisa de um empurrãozinho para perceber isso.

E não compare sua vida com a dos outros. Eu posso estar viajando o mundo e você trabalhando em um escritório com o que gosta e ambos estaremos satisfeitos. Ainda bem que as pessoas são diferentes. Se todas fossem iguais a mim o mundo estava falido, rs.

Ache sua felicidade e batalhe por ela.

Sobre sentimentos. Sobre passado e futuro.

Todos somos Vira-Latas. Somos uma mistura de sentimentos, de desejos, de cores, de gêneros…e nem sempre essa mistura tem sentido, as vezes temos vontades antagônicas. E o que há de mal nisso? Sigam seus sentimentos e deixem que eles te guiem. Sempre com responsabilidade, claro. Mas se algo não faz mal a você e nem ao próximo não é errado, é só diferente. E o vira-lata é feito de diferenças e com elas ele fica mais forte.

mundo vira lata

Sobre recomeços, sobre a nova etapa do Mundo Vira Lata

Bom…depois desse desabafo vocês já devem percebem que o Mundo Vira Lata é também sobre viajar o mundo, mas principalmente sobre viajar dentro de si mesmo. É sobre amar o próximo, é sobre respeitar, entender e adotar as diferenças. É sobre ter brilho nos olhos, vontade de fazer independente de julgamentos.

É sobre ter liberdade de tomar suas decisões independente dos outros, de se aventurar por águas desconhecidas, sorrir. Ver oportunidades nas dificuldades.

É sobre se expressar a sua maneira, melhorar sua auto estima sendo você mesmo. Sobre mudar sua maneira de pensar de acordo com novas experiências.

É sobre desapego. Viver com pouco. Ter flexibilidade para se adaptar. É sobre compartilhar e não guardar para si.

Enfim…sobre se descobrir. Se abrir para o novo. Buscar sempre melhorar. Ter sabedoria de saber os momentos de parar, de experimentar, de se jogar. Sentir que todos estamos interligados em uma mesma redes e somos iguais.

mundo vira lata

E para simbolizar tudo isso criei esse logotipo. De forma simples ele mostra um pouquinho de cada uma dessas coisas, e consequentemente muito de mim e do que aprendi nesses 30 e poucos anos de vida.

As imagens desse post vão ilustrar as redes sociais da viagem. E simboliza a essência da nossa independência e liberdade como indivíduo. Todos nós temos nosso próprio mundo Vira-Lata, e esse mundo não é menos ou mais interessante que qualquer outro. Ele é valioso, ele é nossa história e nos faz ser interessantes. Molda nossas vontades, desejos, necessidades. Enfim, mostra quem somos.

Espero que gostem das mudanças. Vou tentar mesclar os lugares que passei e não escrevi com meu roteiro atual. Estarei pela África nos próximos meses, não sei o que me espera, mas com certeza após esse período em casa vai ser uma viagem bem diferente do que foi em 2016. 🙂

 

 

Comentários

comentários