0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Era uma vez um pequeno reino situado em meio a vales verdejantes, planaltos, rios e montanhas onde vivem leões, rinocerontes, hipopótamos, crocodilos…esse reino se chama Suazilândia.

Suazilândia

Vita da casa da minha couchsurfer em Mbabane, capital da Suazilândia.

Na Suazilândia, uma das últimas monarquias absolutistas do mundo a poligamia é admitida. Portanto um homem pode ter quantas mulheres quiser desde que tenha condições financeiras para sustentá-las. O rei atualmente tem 16 mulheres e seu pai morreu com 27 e mais de 200 filhos. A cada ano entre dezembro e janeiro é realizada uma cerimonia chamada Incwala. Na Incwala além de comemorado o ano novo o Rei escolhe sua nova esposa.

Reed Dance, a grande cerimônia da Suazilândia.

No mês de agosto também acontece um grande festejo chamado Reed Dance (algo como “Dança do bambu”) onde milhares de solteiras dançam juntamente com a rainha mãe (primeira mulher do rei) para celebrar as colheitas…e também aparecer para o rei, quem sabe alguma delas não possa ser escolhida no próximo ano?

O Reed Dance dura 5 dias e no último dia as mulheres dançam com roupas típicas swazis para o Rei.

HIV: O grande problema dos Swazis.

O reino da Suazilândia sofre com a epidemia de HIV, cerca de 1/3 da população está contaminada, a maior taxa de contaminação do mundo! Isso faz com que a expectativa de vida do país seja de meros 37 anos.

Algumas iniciativas de ONGs e do próprio rei fizeram com que os números de infectados se estabilizasse. Organização de grupos de discussão sobre a doença e prevenção da mesma entre as etnias tem surtido efeito. Entre 2001 e 2005 o rei ressuscitou o umchwasho, que é o período de abstinência sexual das mulheres solteiras. Durante o umchwasho todas as mulheres menores de 18 anos devem usar um lenço azul e amarelo de lã no pescoço e são proibidas de ter qualquer contato físico com homens. As maiores de 18 usam um lenço vermelho e preto e são permitidas de ter contato físico, mas não sexual. Quem descumprir a regra tem que pagar a multa de um boi.

Suazilândia

Encenação da dança de cura com um witch doctor.

Os serviços de saúde suazilandês são consideravelmente melhores que os da maioria dos países africanos, porém grande parte da população prefere se consultar com os Witch doctors. Eles são como curandeiros ancestrais que jogam ossos para ler o futuro, fazem poções mágicas com plantas e dançam com espíritos encarnados para curar as pessoas de moléstias. Em Suazilândia há inclusive uma universidade para formação desse tipo de curandeiro.

O turismo Swazi

A Suazilândia vive prioritariamente da agricultura, mas o turismo tem um papel cada vez mais relevante na economia. Apesar de ser um país pobre as estradas tem excelente qualidade e é muito fácil chegar em qualquer lugar, seja de carro ou transporte público. Os parques nacionais e Santuários de animais também tem uma estrutura excelente, com campings, hostels e lodges com preços mais acessíveis que a maioria dos parques do sul da África.

Suazilândia

Crocodilos e hipopótamos compartilhando a pequena ilha para tomar sol no Santuário Animal de Mliwane.

O reino reintroduziu a natureza espécies a muito extintas da região devido a caça indiscriminada. Hoje se pode ver muitos dos animais que a algumas décadas já não existiam pelas montanhas do país.

O pequeno reino dos Swazis vale a visita. Um pequeno país entre a África do Sul e Moçambique com uma cultura e tradições bem peculiares e únicas. Além de uma monarquia, que apesar de criticada internacionalmente pelo absolutismo é muito respeitada pela população.

Suazilândia

Vila típica dos Suazis. Hoje apesar de somente 20% da população viver nas cidades esse estilo de construção já está praticamente extinta.

 

Comentários

comentários