Esse é o João

Conheça um pouco da minha história e porque tive essa louca idéia de virar nômade e conhecer esse mundão.

Blog

Se conhecer, conhecer o próximo e o significado da liberdade. Isso que é o que eu sempre busco.

A tal da vida em que sempre falta algo…

  Em toda a minha vida tive objetivos: Primeira entrar numa das melhores universidades do país, segundo me formar (aquela formatura tradicional, de beca e tudo), trabalhar numa grande empresa, me mudar para uma grande cidade. Aos 30 anos tinha tudo isso, mas essa vida de gente grande me trouxe outro grande problema: a falta de liberdade.   Eu me sentia patinando na lama, queria andar e não conseguia. Meu corpo estava presente mas minha mente estava longe. Eu tinha amigos, um bom emprego, relacionamento com ótimas pessoas, tino empreendedor aflorando…mas faltava algo, e não sabia o que era.

Eu no Burning Man. Uma das melhores eseriências da minha vida.

As sementinhas que a vida planta na nossa cabeça

  Em 2009, então com 26 anos, decidi buscar respostas botando pela primeira vez a mochila nas costas. Nas primeiras férias de 30 dias da minha história larguei família, namorada e amigos para passar esse mês sozinho viajando de Mendoza a Montevideo, passando pela Patagônia.   Eu não sabia falar espanhol e foi a primeira vez que saí do país. Já na primeira noite não consegui contato com minha Couchsurfer e dormi abraçado na mochila no aeroporto. Foi um mês intenso e de um aprendizado que não tinha a muito tempo. Aí estava: Conheci um dos conceitos de liberdade. E gostei!   Passei a viajar para um lugar diferente todo o ano. Em 2010 foi Europa, em 2011 Bolívia, 2013 me mudei para São Paulo (com passagem comprada para o Peru, que tive que abrir mão) e em 2014 uma semaninha na Ilha de Páscoa.   Mas calma aí! Vamos retroceder um pouco aos primeiros meses de 2010. Eu tive um abscesso hepático e fui internado. Passei 15 dias no hospital, passei por uma cirurgia para drenagem da inflamação, emagreci 10 kgs e passei depois 6 meses me recuperando.   Considero esse período da minha vida o estopim. O momento que pensei “O que estou fazendo? Estou trabalhando muito e vivendo pouco. (e olha que não podia reclamar do que estava vivendo.). Preciso realizar meus sonhos e não ficar empurrando eles com a barriga.”   Poucos anos antes, em 2006, em um encontro de design numa mesa de bar eu e mais uns amigos combinamos que iríamos fazer uma “Viagem ao terceiro mundo”. Aquele papo de bêbado plantou a sementinha que iria me fazer viajar já em 2009 mesmo sendo um estagiário fudido.

O inconformismo e a realização de um sonho

Tomando banho de rio no meio da Amazônia peruana, em Iquitos.

  Bom…depois de 2010 meu objetivo foi guardar dinheiro para passar um longo tempo viajando. Queria experimentar a liberdade que tinha durante 1 mês por quanto quisesse. Queria explorar, conhecer, aprender. E isso me motivou por 5 anos. Até que chegou o momento em que deveria me jogar.   Já com 32 anos, quase 10 anos de uma boa experiência em comunicação e marketing decidi largar tudo e realizar meu sonho. Não foi fácil, foi um processo que fiz em etapas. Me desfazer de minhas coisas primeiro. Depois do meu trabalho (esse foi difícil) e depois me mandar para o mundo sem roteiro ou planos. Somente com um orçamento e um itinerário pré estabelecido, ambos com muita flexibilidade para serem modificados.

 

Hoje depois de 1 ano de viagem.

Vai um whisky com gelo milenar ai?

  Sempre fui um inconformado e não me arrependo da minha decisão. Faria tudo novamente. Aprendi muito, vi muito, experenciei muito. Mudei meu conceito de liberdade, de viagem e de vida. Mudei meu estilo de pensar em vários aspectos. Cresci como pessoa como não cresceria em 5 anos.   O mundo ainda tem muito a me oferecer e ainda viajarei para compartilhar as experiências e os aprendizados que tenho condições de absorver. E tentarei compartilhar tudo com vocês. Para motivá-los a seguirem seus sonhos, sejam quais eles forem.   Hoje posso me dizer feliz. Todas as escolhas tem suas renúncias e não é fácil ter uma vida nômade, escrevo muito sobre isso aqui nesse blog. Mas por enquanto estou completo. Aprendi a sentir quando devo parar, e ainda não é o momento.   Portanto sigam-me nesse mundo Vira-Lata! Com certeza temos muito a aprender.   Beijos e abraços.   João.

Comentários

comentários